sexta-feira, 1 de junho de 2012

Coragem e Covardia.

   Ir à guerra de peito aberto não significa ser corajoso, significa ser tolo. Coragem e Covardia não tem a ver com como as Almas dispõe de suas vidas, mas de que modo, com que utilidade e com que astúcia disporão dela.
   Tanto quanto a Coragem, a Covardia também faz parte da Sabedoria, pois ser sábio é também compreender os opostos. Ter momentos de covardia não quer dizer ter momentos de fraqueza, nem humilhação. Todo Guerreiro, para Guerreiro continuar sendo, te que, em algum momento de sua jornada, dar ouvidos ao Medo. Se bem compreendido, o medo dá bons conselhos para a manutenção da vida. Contudo, escutar todos os dias a voz do Medo, deixando que ela se torne imperativa, superior, é um problema, pois este penetra mais profundamente que qualquer projétil.
   O excesso de coragem deixa os Homens cegos, com o falso sentimento de imortalidade. O Ódio e o excesso de Coragem podem matar. Sentir-se imortal ajuda o Guerreiro a encarar a face da morte com o perfeito equilíbrio entre a Coragem e a Covardia, mas quando o Guerreiro achar que realmente é imortal, então a morte o sugará para debaixo de seus braços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário