terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

A Verdade dói, mesmo quando esperamos por ela.

   Creio que nenhum Homem esteja preparado o suficiente para uma resposta de Verdade, mesmo quando esta é sempre esperada. Supus, em engano, que a única coisa que fazia com que o Homem temesse a verdade porque esta lhe despia e o deixava nu em pelo frente aos seus semelhantes, que , mesmo sendo tão vulneráveis ás verdades, tratariam do caso como se fossem invulneráveis a qualquer efeito.
   Pode-se saber qualquer resultado, saber que a catástrofe dentro será inimaginável e pensar que por saber que a tormenta vem, então sairemos o mais rápido possível, evitando assim, a violência e a impetuosidade desta tempestade de verdades. É aí que reside o perigo, pois é o onde a Esperança mora e deixa ovos. Isto nunca morre, mas é o que faz com que o Homem morra ou viva. Poucas vezes o vi viver por causa dela. Não há como controlar algo tão poderoso como a Esperança, a não ser que o Pessimismo e o Fatalismo tenham tomado conta.
   Compreender o Pessimismo como Realismo é complexo aos olhos de quem não sabe como agir de tal forma. Tudo sobre isso já é implícito, bastando que se dê ouvidos, mas apenas o bastante para não sair de Pessimista para Depressivo.Com o Pessimismo pode-se controlar a Esperança até certo ponto, partindo daí, a Verdade vai doer menos. Isso não quer dizer que a dor não seja grande e que não deixe marcas, quer dizer apenas que vai doer  menos.

Um comentário: