domingo, 17 de julho de 2011

Doces sonhos.

   No mundo há alguns tipos de pessoas, e para cada uma delas há um sonho contrário. Há alguns sonhos que te usam e outros que ser usados por você. Imaginei toda espécie de sonhos e imaginei uma horda de loucos e loucuras vindo em direção a minha cabeça. O primeiro instinto é o de por a mão sobre a cabeça e tentar protege-la.

   Alguns deles te usam. Pessoa podem ser sonhos e sonhos podem ser pessoas. É a lobotomia autoimposta, é a defesa contra a sociedade opressiva e ditatorial, é a arma contra a ditadura da felicidade e a falta de liberdade de inexpressão. Sonhos que te usam podem ser bons, podem ser aqueles que te põe de pé quando você está com vários cortes pela carne e está quase sem sangue.

   Alguns deles te usam... Mas aí os que usam podem se sentir super poderosos, podem querer te puxar pra o surreal e quebrar cada osso e ideia de sua cabeça e além disso, te fazer perder a materialidade sã dos passos no chão e da chuva no rosto, dos cabelos molhados e das músicas instigantes, essas coisas que só lembramos que existem porque elas sumiram e deixaram o fundo do nosso peito ressacado, parecendo uma folha morta e seca. Pessoas que são sonhos podem ser tudo de mais estranho. Podem ser tão perfeitamente malignas que usando-nos, fazem parecer que nós as usamos. As vezes eles se traduzem na forma do perfeito amor. Depois de tudo nos perdoam de algo que fizemos porque tínhamos que fazer ou porque éramos fracos demais para aguentar fazer tudo certo. São esses sonhos que nos fazem esquecer que somos humanos e cheios de mazelas incuráveis. É como ; " A culpa é minha e eu jogo em quem eu quiser" e é essa culpa que cai em nós e somos convencidos com tanta profundidade que pensamos que esta culpa é nossa e mais de ninguém.

Certas coisas acontecem e certas pessoa aparecem do nada. Não por coincidência, afinal tudo isso faz sentido. É como se fosse um sonho, ma não, é como se a semelhança fosse um sonho, mas não é, é como se a reviravolta fosse premeditada, e é.  Por nos mesmos, ma especificamente por nós que usamos os sonhos que nos usam.

Imagine um novelo de lã, depois imagine um gato enlinhando todo o novelo com outro novelo da mesma cor, e imagine agora vários gatos enlinhando os novelos e os espalhando por todo o chão junto com pedaços de novelo da mesma cor dos outros dois novelos. Pois bem, isso é a mente de qualquer ser humano e os gatos são os sonhos, as pessoas sonhos, as pessoas pessoas, os sonhos sonhos e os sonhos pessoas junto com você mesma e um universo inteiro de linhas de vidas.

Um comentário: