sexta-feira, 20 de maio de 2011

Requiem For a Dream

   Um filme de Darren Aronofsky, lançado no ano 2000. O filme se desenvolve em três estações do ano dos vidas dos personagens. Começando pelo verão com a história de uma viúva que passa a maior parte do tempo assistindo televisão. Outros 3 personagens, como o filho da viúva, seu amigo e sua namorada, que são viciados em heroína e traficam.

    O roteiro do filme gira basicamente em torno dos sonhos, privações e posteriores delírios dos personagens. Revela-se aí, da forma mais perturbadora possível, como o homem pode destruir seu próprio sonho e que só ele mesmo o pode fazer. Usando em excesso suas drogas, os personagens entram em uma espécie de queda livre, que é interrompida a partir do momento que terão de privar-se disso, fazendo-os entrar em uma violenta crise de abstinência.



   Os últimos 25 minutos do filme foram considerados um dos mais perturbadores da história do cinema. As cenas intensas do filme são alternadas rapidamente, e acompanhadas por uma trilha sonora que cresce em intensidade. Após o clímax, há uma breve serenidade até o final retratando quatro vidas devastadas.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Os 10 piores Serial Killers da História - Elizabeth Bathory

   Condessa húngara nascida em 7 de Agosto de 1560.  Erzsébet noivou com o conde Nádasdy quando tinha apenas 11 anos de idade e passou a morar no castelo dos Nádasdy, que ficava em Sávár. O casamento ocorreu em maio de 1575. O conde Nadasdy era militar e, frequentemente, ficava fora de casa por longos períodos. Nesse meio tempo, Isabel assumia os deveres de cuidar dos assuntos do castelo da família Nádasdy. Foi a partir daí que suas tendências sádicas começaram a revelar-se com o disciplinamento de um grande contingente de empregados, principalmente mulheres jovens. "À época, o comportamento cruel e arbitrário dos detentores do poder para com os criados era comum; o nível de crueldade de Erzsébet era notório. Ela não apenas punia os que infringiam seus regulamentos, como também encontrava todas as desculpas para infligir castigos, deleitando-se na tortura e na morte de suas vítimas. Espetava alfinetes em vários pontos sensíveis do corpo das suas vítimas, como, por exemplo, sob as unhas. No inverno, executava suas vítimas fazendo-as se despir e andar pela neve, despejando água gelada nelas até morrerem congeladas. O marido de Báthory juntava-se a ela nesse tipo de comportamento sádico e até lhe ensinou algumas modalidades de punição: o despimento de uma mulher e o cobrimento do corpo com mel, deixando-o à mercê de insetos."
    O Conde Nádasdy morreu em 1604, então ela mudou-se para Viena. Passou também algum tempo morando em sua propriedade em Beckov e no solar de Cachtice, ambos localizam-se onde hoje situa-se a Eslováquia. Esses foram os cenários dos seus mais conhecidos, sangrentos e depravados crimes.
   Nos anos que se seguiram à morte do Conde, a companheira de Erzsébet no crime foi uma mulher de nome Anna Darvulia, de quem pouco se sabe a respeito. Quando Darvulia adoeceu, Erzsébet se voltou para Erzsir Majorova, viúva de um fazendeiro local que era seu inquilino. Majorova parece ter sido responsável pelo declínio mental final de Erzsébet, ao encorajá-la a incluir algumas mulheres de estirpe nobre entre suas vítimas. Bathory seguiu as recomendações de Majorova e fez de vítimas alguma jovens nobres. Isso ocorreru porque estava difícil para Elizabeth recrutar novas servas, afinal, sua fama já a precedia.
   Erzsébet foi presa no dia 26 de dezembro de 1610. O julgamento teve início alguns dias depois, conduzido pelo Conde Thurzo. Uma semana após a primeira sessão, foi realizada uma segunda, em 7 de janeiro de 1611. Nesta, foi apresentada como prova uma agenda encontrada nos aposentos de Erzsébet, a qual continha os nomes de 650 vítimas, todos registrados com a sua própria letra. Seus cúmplices foram condenados à morte, sendo a forma de execução determinada por seus papéis nas torturas. Erzsébet foi condenada à prisão perpétua, em solitária. Foi encarcerada em um aposento do castelo de Cachtice, sem portas ou janelas. A única comunicação com o exterior era uma pequena abertura para a passagem de ar e de alimentos. A condessa permaneceu aí os seus três últimos anos de vida, tendo falecido em 21 de agosto de 1614. Foi sepultada nas terras dos Báthory, em Ecsed.