quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A Massa da Democracia.

   Democracia ás vezes torna-se um problema, principalmente quando se mora num país chamado Brasil. È verdade que em todo país a democracia pode se tornar um problema.
   Na Democracia, a maioria é que tem o poder de escolha. Um ótimo conceito, o mais justo até agora. O que traz o defeito é que a maioria não tem instrução. No caso, a nivelação de um país, pode ser por baixo. O povo ganha não porque é mais instruido e soube escolher mas porque é a maioria e esta maioria é incrivelmente manipulável. Comprar votos é muito fácil, manipular uma mente que desde cedo vem sofrendo uma descarga de informaçãoes manipuladas com o intuito de conseguir dominar a ideologia da maioria do país para que futuramente seja usada para proveito próprio. Isso tem um nome: Massa de manobra.
   A receita de uma massa dessas é bem fácil. Começa tudo com uma máquina de propagando que custa mais ou menos uns 14,6 bilhões (Para isso o investimento é auto e sempre aumenta, para a saúde, que recebe apenas 12 bi, a desculpa dada para tudo é a da 'reserva do possível'). Para amaciar a massa, retire do currículo escolar as matérias de Filosofia e cidadania, mas deve ser no ponto certo, que é a partir dos 7 anos de idade da criança. Exclua o ensino religioso e adicione muita orgia e consumo de drogas sustentado pelos próprios ocupantes das cadeira mais importantes na coordenação do país. A partir daí é só dar pão e circo a cada 4 anos. Está preparada a lavagem cerebral em massa.
   Ainda tem gente com coragem de reclamar da situação que está, jogando a culpa na má administração do território e das políticas privadas... Foram suas próprias escolhas. Os governantes são o espelho da nação, não é?

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Todo casal deveria ler

"Por mais que o poder e o dinheiro tenham
conquistado uma ótima posição no ranking
das virtudes, o amor ainda lidera com folga.
Tudo o que todos querem é amar.
Encontrar alguém que faça bater forte o
coração e justifique loucuras.

Que nos faça entrar em transe, cair de quatro,
babar na gravata.

Que nos faça revirar os olhos, rir à toa,
cantarolar dentro de um ônibus lotado.
Depois que acaba esta paixão retumbante,
sobra o que? O amor. Mas não o amor
mistificado, que muitos julgam ter o poder
de fazer levitar.

O que sobra é o amor que todos conhecemos,
o sentimento que temos por mãe, pai, irmão,
filho. É tudo o mesmo amor, só que entre
amantes existe sexo.
Não existem vários tipos de amor, assim como
não existem três tipos de saudades, quatro de
ódio, seis espécies de inveja.

O amor é único, como qualquer sentimento, seja
ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus.
A diferença é que, como entre marido e mulher
não há laços de sangue, a sedução tem que ser
ininterrupta. Por não haver nenhuma garantia de
durabilidade, qualquer alteração no tom de voz
nos fragiliza, e de cobrança em cobrança
acabamos por sepultar uma relação que poderia
ser eterna.

Casaram. Te amo prá lá, te amo prá cá. Lindo,
mas insustentável. O sucesso de um casamento
exige mais do que declarações românticas.

Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso.

É preciso que haja, antes de mais nada, respeito.
Agressões zero. Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência.

Amor, só, não basta.

Não pode haver competição. Nem comparações.

Tem que ter jogo de cintura para acatar regras
que não foram previamente combinadas.

Tem que haver bom humor para enfrentar
imprevistos, acessos de carência, infantilidades.


Tem que saber levar.
Amar, só, é pouco.
Tem que haver inteligência.

Um cérebro programado para enfrentar
tensões pré-menstruais, rejeições, demissões
inesperadas, contas pra pagar.

Tem que ter disciplina para educar filhos, dar
exemplo, não gritar. Tem que ter um bom psiquiatra. Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem visando a longevidade
do matrimônio tem que haver um pouco de
silêncio, amigos de infância, vida própria, um
tempo pra cada um. Tem que haver confiança.

Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou.
É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão.
E que amar, "solamente", não basta.

Entre homens e mulheres que acham que o amor
é só poesia, tem que haver discernimento, pé no
chão, racionalidade. Tem que saber que o amor
pode ser bom, pode durar para sempre, mas que
sozinho não dá conta do recado. O amor é grande
mas não é dois.

É preciso convocar uma turma de sentimentos
para amparar esse amor que carrega o ônus da
onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.



Um bom Amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós!"



(Autor: Arthur da Tavola)

Perder pra mim mesmo é lucro.

   Será que vale de alguma coisa, num relacionamento a dois, se dar e querer dialogar? Por várias vezes me desfiz de tanta coisa só pra não ver meu par chorar. Desfiz até alguns planos, deixei de sair para alguns lugares e dei prioridade á ela.
   Não me arrependo de nada disso, a não ser quando me dei demais e errei, pequei por excesso. Errei por passar noites e mais noites em claro para ouvir os problemas e as alegrias, errei quando dei conselhos e errei quando briguei para o bem dela. Gostaria de ter errado mais, só que mais para o bem dela.
   Andei do lado da rua, abri a porta do carro, dei presentes, mandei cartas, fui cúmplice, mantive segredo, respeitei, saímos e paguei a conta, fiz surpresas, elogiei... enfim, fiz de tudo e não esperei nada. Não que eu não quisesse em troca mas porque não sobrava tanto tempo assim.
   Mesmo com tudo isso, ainda assim, quando errei, foi como se nada disso tivesse existido, foi como se eu só tivesse feito mal e tivesse agido de forma egoísta. Nada valeu a pena por causa de um pouco de vontade de receber um pouco em troca.
  
   Meu conselho é : não se dê mais de 40% para alguém. Se o fizer, não erre de modo algum, e se errar, prepare-se para ouvir muita coisa... muita coisa mesmo. Observe que por mais que tudo passe, os seus amigos e amigas sempre vão esar lá e eles não receebem o tanto que merecem. Antes de tudo, seja amigo do seu par, porém, lembre-se que quando se der demais, a perpetuação dessa amizade vai lhe causar mais danos do que felicidades. Enquanto o tempo passar longe, mate todas as suas esperanças pois eu garanto que na maioria das vezes, se não fizer isso, ela vai matar você bem lentamente. Queira alguém que não queira seu status ou materialidades nem queira isso de ninguém, tudo isso some da noite para o dia.
   Dizem que só se ama uma vez... É verdade... E é verdade também que a dor é porporcional ao amor. Então fica a seu critério o quanto você aguenta de dor.
  Apesar de tudo isto aí, não me arrependo de ter amado ou de querer amar outra vez.... Acho isso muito difícil. Essa é a infelicidade de ter conceitos românticos.


P.S: Só um número mínimo de pessoas vão entender o título e a foto é avacalhada mesmo.

Curto e grosso.