terça-feira, 27 de outubro de 2009

"Por que não fazemos revoluções? E se fazem porque se originam na massa intelectual? ''



É uma questão que, a primeira vista, parece fácil porém, dá margens a milhares de interpretações, desde religiosas até socio-filosóficas. No caso, agora, ficaremos com a segunda opção.



Bom... Ao meu humilde ponto de vista acho que não fazemos mais revoluções pelo fato de termos nos acomodado com o que acontece ultimamente. Não é uma acomodação normal e nem todos estão tão acomodados assim, mas é forte a ponto de manter uma nação todinha aos pés de um aparelho de televisão. Certo que a geração passada foi ás ruas e protestou dando sangue a té a prórpia vida, sem esse sangue não teriamos tanta liberdade quanto temos hoje.


Indo direto ao ponto, não há falta de muita coisa pra se fazer uma revolução, pelo menos não neste nosso período. Temos jovens idealistas, temos pessoas suficientes para mudar alguns mundos, mas falta coragem, falta vontade de dar a vida (talvez em todos os sentidos) á uma causa incerta no momento e quem sabe, até nos momentos vindouros.

Para instigar nossa geração a ir ás ruas, pegar em armas ou abster-se de algo, será preciso mais do que o sofrimento do próximo para mover tantos. Será necessário atingir egos inflados e mentes condicionadas a viver no mar da ignorância e do modismo consumista anticonstrutivo intelectual, moral e espiritual.

Não é difícil... Mas também não é tão simples quanto parece.

sábado, 24 de outubro de 2009

Behaviorismo.

Behaviorismo, derivado da palavra inglesa "Behavior", significa comportamento.


Behaviorimos é uma corrente e método da psicologia que afirma que o único obejeto de estudo da Psicologia é o comportamento, seja dos homens ou dos animais e que é suscetível de ser medido.


John Watson sustentou que não existem estados internos na consciência como; "Pensamento", "Vontade", "Percepção" etc. A única coisa que existe são respostas orgânicas (Musculares ou glandulares). As emoções, hábitos, pensamentos ou linguagem são respostas fisiológicas complexas a estímulos externos. Nesse sentido, Watson procurou determinar as leis que regiam a ocorrência de certos estímulos (ou eventos ambientais) e as respostas que provocam.


Valorizaram as experiências na formação do seres humanos deixando a herança genética em segundo plano. Ou seja, todo tipo de conduta era aprendida e não herdada. Rigorosamente falando afirma que o homem é produto das experiências. Aplicou com ênfase os métodos laboratoriais

UFO colide com avião na Romênia.

BUCARESTE, Romênia - O ministério de Defesa Romeno confirmou no dia 6 de junho de 2008 que um caça MIG 21 foi atingido por Objetos Voadores não-identificados em 31 de outubro de 2007. O piloto Marin Mitrica ficou ligeiramente ferido, mas conseguiu aterrissar o avião em segurança. O relatório oficial diz que a cabine do piloto foi quebrada. O choque em um vôo de treinamento levou só 67 milissegundos e foi registrado pela câmera de vídeo no avião.Lt. Col. Nicolae Grigorie disse que o vídeo mostra "dois corpos sólidos, não translúcidos". Também disse que estão tentando determinar o que os objetos podem ser. "Eles não podiam ser pássaros, porque não existe nenhum pássaro na Europa capaz de voar tão alto. E eles não podem ser pedras de gelo porque estava um céu claro - nem podia ser pedaços de outro avião ou um meteoro. Nós podemos definitivamente dizer o que esta coisa não era, mas nós não podemos dizer o que era".O governo também descartou lançamentos de foguete e artilharia como causas do incidente.





Não é a primeira vez que um UFO arrebenta um avião em sua passagem. Já aconteceu aqui no Brasil mesmo, com a Esquadrilha da fumaça, em 1996, durante uma apresentação.

Vários países já admitiram oficialmente, em algum ponto, a existência de OVNIs. Então, por que o assunto ainda é tão underground? Só porque os EUA ainda não chegaram na TV pra falar "existem objetos voadores não-identificados nos céus do planeta"? Só por isso? Porque a existência desse "algo" é um fato, e não uma conspiração de malucos tentando provar algo. Os militares belgas já mostraram vídeo de perseguição a UFOs, os russos também, e mesmo os militares iranianos.



Então o que falta pra dar o "estalo final" na cabeça das pessoas, e trazer à consciência o fato de que não estamos sós? Enquanto isso a mídia prefere dar destaque a palhaçadas como o suposto alien brilhante que aparece na janela e que não pode ser mostrado porque o cara quer ganhar dinheiro fácil com um "documentário". Isso é claramente um movimento orquestrado sabe-se lá por quem, com apoio da mídia, pra ridicularizar a ufologia e fazer as pessoas esquecerem dos fatos RELEVANTES.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Tudo para alcançar a perfeição.

Tornar-se uma verdadeira pessoa constitui a maior de todas as perfeições. Para Gracián, nem todo mundo é uma pessoa de fato. Alguém se torna uma "pessoa", não apenas um homem ou uma mulher por meio do esforço, pela perfeição moral. A verdade é que a perfeição vem de alguns pilares importantes. Dois deles são o caráter e a inteligência.



Esses são os pólos que fazem luzir os predicados. É perfeitamente perceptível (ao menos para alguns poucos olhos) que um sem o outro é apenas meia felicidade. Não basta ser inteligente; é preciso também ter o caráter apropriado, para isso é preciso considerar sua condição, posição, origem, amizades e uma capacidade singular de amar.



Em meu campo de visão, o que tenho enxergado hoje é que caráter já não é mais tão bem trabalhado quanto antes e inteligência é tranformada em traição (como disse Renato Russo). Fica difícil produzir sabedoria (Sabedoria, não apenas conhecimento...). Olhando as circunstâncias de hoje, sabemos que para fazer um sábio no presente exige-se muito mais do que se exigiu para fazer oito sábios no passado, e agora é preciso mais habilidade para lidar com um só homem do que antigamente com toda a nação.



Fato é que não se auto ajudam, até porque muitos foram atingidos por uma forte anestesia chamada alienação. Como se pode cultivar sabedoria sendo dependente do que poucos ,de ternos e gravatas, dão, se é que dão ou quando dão?!



Ninguém nasce perfeito. Deve se aperfeiçoar dia a dia, tanto no pessoal quanto no profissional até se realizar por completo, repleto de dotes e de qualidades. O muro que impede a grande maioria de entrar para o grupo dos discretos é chamado, em outras palavras, de dependência, preguiça e relaxamento com aquilo que o faz ficar sob a lama. Relaxamento, talvez uma das mais perigosas e dúbias capacidades do homem. Mas o foco é outro, relaxamos, deixamos tudo de lado e nos acostumamos a viver na sujeira. Se estávamos a procura da perfeição em todos os âmbitos então não a acharemos em lugar algum se mantivermos nossos focos nos prazeres efêmeros, como a muito tempo o sistema atual nos fazer agir. Claro, voltar vai depender da capacidade interior de cada um.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

The Matrix.

Uma produção norte-americana e australiana. Um dos filmes de maior bilheteria da história do cinema. Foi também o que mais mexeu com o sentido filosófico da "Realidade". Garantiu um bom lugar na eternidade...

O tema de Matrix, gira em torno da exitência da Realidade, afirmando que tudo o que vemos faz parte de uma ilusão criada por um programa de computador.

O filme custou 63 mihões de Dólares e arrecadou 458 milhões, além disso, fez uma revolução no cinema, tanto em efeitos especiais, como a cena em que o trajeto de uma bala, em câmera lenta, foi perfeitamente representado, ou mesmo com o balé inimaginável das artes marciais, e claro, também inovou em questão de roteiro.

Matrix é dividido em 3 partes: Matrix, Reloaded e Revolutions.

Primeira parte: Thomas Anderson (Keanu Reeves), o hacker Neo, ao encontrar Morpheus (Lawrence Fishburne) tem sua vida modificada. Depois do encontro dos dois, Neo fica sabendo que o mundo em que vive é uma ilusão, a Matrix. Morpheus faz uma proposta a Neo; tomar a pílula vermelha e salvar a humanidade ou tomar a pílula azul (que não era o viagra...) e esquecer de tudo. De um jeito sutil, Neo é comparado a Cristo. Neo toma a pílula vermelha.

Segunda parte: Com o auxílio de Morpheus e Trinity (Carrie-Anne Moss) liberta boa parte dos humanos e os leva para Zion, a última cidade humana, onde homens se preparam para entrar em guerra contra as máquinas. O vilão francês Merovíngiam e Perséfone são introduzidos na história. Em troca de um beijo, Perséfone coloca Neo em contato com o Chaveiro, peça fundamental para encontrar o Arquiteto, o criador da Matrix.

Terceira parte: Encerramento da trilogia. Episódio no qual Neo terá que salvar a cidade de Zion das máquinas e libertar o povo. Terá que enfrentar pela última vez o Agente Smith (Hugo Weaving), vilão principal da trama, e suas milhares de cópias, no meio de uma chuva torrencial. Neo morre pela humanidade fazendo, novamente, uma sutil alusão a Cristo e sua morte pelos humanos. Num final pouco convencional o Oráculo (Mary Alice) diz: "Um dia ainda veremos Neo novamente" talvez, também, outra sutil alusão a Cristo e sua volta.

Curiosidades:
-Matrix é inspirado em um livro chamado "Neuromancer".

-Os custos de "Matrix Reloaded" e "Matrix Revolutions" chegaram a 350 milhões de Dólares. Deste total 100 milhões foram gastos apenas em efeitos especiais.

-As duas sequências "Reloaded" e "Revolutions" demoraram a ser concluídas porque algumas das empresas contratadas para fazer os efeitos especiais faliram.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Tempo contra tempo


Se eu fosse mais velho e principalmente independente finaceiramente eu sairia desta cidade. Não que ela seja ruim, mas o fato é que não há muito mais o que eu possa fazer por aqui. Não tenho mais tempo pra nada. Também não é culpa da cidade, mas do que se passa nela. Poderia chover canivete por essas bandas mas sem tempo para ver a chuva cair, não vai ter nada de novo...


TEMPO... Como sempre falo, é só uma grandeza quantativa. Venho observando o efeito do tempo nas pessoas e é engraçado, ás vezes trágico, dramático até, o efeito que uma coisa assim causa em quem não está de bem com este tipo de matemática. Alguns ficam loucos, outros nostalgicos outros simplesmente endurecem. Os piores são os que morrem, não que morrem de perder a vida, mas os que deixam a alma ir embora e permitem que o corpo continue a reagir com o que há ao redor. São esses que fazem tudo parar, tudo ficar monótono. Não é culpa deles, é culpa da forma como eles viram o tempo passar.

Aproveitaram pouco ou não aproveitaram nada. Muitos morreram porque viram o tempo passar e foram aproveitar do jeito errado, do modo errado não só para o corpo mas também para a própra alma. Esses foram os que não curtiram uma boa música, não choraram porque chorar é pra fracos, se enganaram, chora quem é forte o suficiente pra adimitir o que há dentro, não viveram o que lhges restava do pouco tempo aqui na terra com quem eles amavam de verdade, com quem queria o bem deles, o que em vez de alimentarem o espírito alimentaram a superfície de pequenos desejos efêmeros.

Enfim, como se passa o tempo então? Conversando com quem o deu. É fácil. Conversar com o tempo pode se ruma ótima terapia para pessimistas e indecisos, o problema é o prolongamento da conversa. O Tempo para, mas o tempo não para.

O que se usa para saber viver?

Quando eu era mais novo, meu pai costumava dizer que a chave da vida era a felicidade.
Algum tempo depois fui fazer uma tarefa escolar onde havia um questionário. Uma das perguntas era: "O que você quer ser quando crescer?" eu respondi "Feliz".

Na outra semana, depois de devolverem os cadernos, a professora me chamou e disse: "Você nao entendeu o que a questão quer" e eu respondi: "Vocês não entendem o que a vida pede"